Eu não nasci errado – Uma das histórias que você encontrará em meu livro.

Nasci em um lar desestruturado. Ser órfã, exigiu de mim e de meus irmãos, o amadurecimento forçado, o aborto de algumas fases pelo preço da sobrevivência.

Não sou dessas que justifica atitudes. Assumi e assumo até hoje, as consequências de minhas escolhas sem culpar ninguém por isto, mas as experiências ao longo destes 40 anos, conhecendo e me relacionando com pessoas ( que é uma das coisas que amo – gente) confirmei o que eu já tinha entendido lá atrás. A falta de algumas coisas, somadas ao ambiente em que você está inserido, influenciam e muito, nas tomadas de decisão ao longo de sua vida. Porém, como diz um coach que conheço, “Biografia não é destino”. Dá tempo de fazer diferente.

Ao longo de minha caminhada, ouvi de pessoas próximas e até de familiares, questionamentos, julgamentos, opiniões contrárias e até rótulos, por algumas decisões que tomei, que talvez não fossem politicamente corretas aos olhos daquilo que o “padrão exige”, para que você seja considerado alguém de sucesso, com a família de sucesso, a carreira de sucesso, o modelo a ser seguido ou a própria fórmula mágica da felicidade. É claro que com a maturidade , somada as experiências que tenho hoje, e acima de tudo, buscando viver aquilo que a palavra de Deus tem me ensinado, algumas coisas eu teria feito diferente, porém não me acho menos capaz, menos vitoriosa, menos importante ou menor do que alguém que não passou por exemplo, por dois casamentos como eu passei.

O fato de algumas coisas não ter dado certo ao longo de sua vida, não quer dizer que você seja uma fracasso. Que você tenha nascido errado.Os insucessos são oportunidades incríveis de mudança e recomeçar, seguir em frente, fazer diferente e principalmente ESCOLHER DIFERENTE, são atitudes que só pessoas dotadas de características como resiliência, determinação, foco, otimismo e força, possuem.

Muito dificilmente uma pessoa que vive na zona de conforto, passará por privação, momentos de crise e intempéries, da mesma forma que uma pessoa que possui esta experiência, sendo ousada e determinada passará.

É claro, que não estou dizendo que uma pessoa que não passou por problemas mais relevantes ao longo da vida é menos capaz de solucionar conflitos do que aquelas que  passaram por isto, mas se você, por viver em uma posição mais confortável e digamos, que corresponde ao modelo ideal que até mesmo a Bíblia nos ensina a buscar, utilizar isto para se achar melhor do que os outros ou para diminuir quem não teve a mesma história que você, cuidado! Deus não está nisso. Certamente!

Glórias a Deus que o “trem” de sua vida, sempre esteve nos trilhos certinhos e você nunca passou por problemas! De verdade, agradeça , glorifique a Deus, mas faça ainda mais. Use isto para fazer diferença na vida das pessoas, para ministrar o amor de Jesus, a bondade, a fidelidade de Deus, a compaixão, a importância de viver princípios, a misericórdia.

Este texto teve inicio a partir de uma conversa que chamou minha atenção.

Uma mulher aparentemente com uma família “normal”, conversava com uma outra ao meu lado, sobre o filho de uma vizinha.

Ela falava do quanto o rapaz tinha se enveredado pelo caminho mal, que a fulana, a vizinha, tinha uma vida horrível. Trabalhava muito, criou os filhos sozinha pois o marido foi embora com outra e apesar de ir a igreja, não era de muita conversa e por isto ela também não puxava assunto, pois ESTA FOI A VIDA QUE ELA ESCOLHEU.

Tipo, a mulher sofrida não era digna de “assunto” pois ela escolheu viver esta vida de derrota e por isto não era sensato ter “assunto” com a indivídua, que tinha a vida perfeita. Não acredita? Então leia isto.

E a conversa continuou.

Sabe fulana, eu graças a Deus, sou uma mulher muito feliz. Tenho o mesmo marido há tantos anos , meus filhos trabalham e tem suas famílias, somos um belo modelo de família. Mas sabe por que? Por que escolhi não dar atenção a estas pessoas como a vida desta vizinha por exemplo. Cruz credo! Essa mulher nasceu para sofrer. Cada um nasce com um destino. O dela é este. E precisamos ficar longe de gente assim. Atrai coisas negativas.

Fazendo sinal com a cabeça, olhando pra mim, a fim de me envolver na conversa, buscando minha aprovação, olhei bem no fundo do olho dela e disse:

– Olá , tudo bem com a senhora? A senhora conhece Jesus?

Sim. Conheço sim.

Eu disse: Ah que legal! E a Senhora sabe o que Jesus fazia quando andava pelos povos, buscando sentar, conversar, curar, ensinar e abençoar?

Ela tentou explicar, mas gaguejou um pouco.

Eu continuei: A principio quando Jesus escolheu seus discípulos, ele não perguntou se eles tinham famílias estruturadas, se eram perfeitos, como a senhora por exemplo, se tinham formação, intelectualidade relevante ou etc…

Ele disse; Vem! Larga tudo e vem. Ou seja, do jeito que você é e como você está. Foi assim que ele escolheu as pessoas que caminhariam com ele. Um monte de imperfeitos, prontos para serem moldados pelo mestre.

Outra coisa, quando Jesus perdoou os pecados de uma mulher adúltera, de uma prostituta e de muitos outros, ele não estava preocupado com o passado destas pessoas e sim com o que elas viveriam a partir dali.

Logo, a reflexão que faço desta conversa que a Senhora acabou de compartilhar é que a Senhora mais parece os fariseus e os escribas daquele tempo. Se achando melhor e mais digna do que sua vizinha, mas na verdade a Senhora está longe de se parecer com Jesus, como deveria. Digo isto para ser benção na vida da Senhora e não para condená-la por que isto a Senhora acabou de fazer.

Outra coisa, eu sou separada, crio dois filhos, um já na faculdade. Não somos uma família perfeita, mas amamos Jesus e buscamos amar o nosso próximo, por isto estou semeando este tempo na vida da Senhora, a fim de ajuda-la a ajudar sua vizinha, pois ainda dá tempo. Talvez ela só queira um abraço. Como eu mesma várias vezes precisei.

A outra amiga com os olhos esbugalhados, pediu que eu orasse por ela, já a senhora da história, empinou o nariz e não gostou muito do que eu disse.

Mas não tô preocupada com isto. De verdade. Por que meu coração ficou em paz e este foi meu termômetro.

Agora se você leu este texto até o final e ele falou ao seu coração de alguma forma, lembre-se, ainda dá tempo.

Não fomos chamados para condenar, julgar ou matar as emoções das pessoas a partir do tribunal, que muitas vezes estabelecemos na vida dos outros.

Este é o papel de satanás.

Fomos chamados para pregar um amor capaz de dar novas chances a partir do arrependimento, esperança a partir do perdão, vida a partir do reconhecimento de nossa dependência em Deus, mas isto só será possível, se eu e você, nos despojarmos de toda altivez e arrogância e passar a olhar nosso próximo com olhos de misericórdia.

E se você que está lendo este texto, se achava inadequado até então, por acreditar que seu passado ou presente, não corresponde ao padrão que você ou a sociedade espera neste tempo, mantenha a calma. Experimente conhecer Jesus. Um cara que chama um monte de gente imperfeita para caminhar com ele, a fim de conhecer o padrão dele, que é o melhor que existe e não se assemelha ao de mais ninguém.

A paz de Jesus em seu coração!

Com amor,

Claudinha

1 comentário

  1. Almenara

    Olá minha querida irmã, Paz! Eu li e reli a sua matéria, pq muitas vezes quando leio algo, na primeira vez tenho um impressão, quando leio outras, sempre tenho impressões mais profundas, mesmo pq minha percepção e entendimento é bem maior. A história de sua vida é semelhante à de muitas outras pessoas, só que muito diferente, de igual modo, está sendo visto por você, hoje, de um ângulo amadurecido e dirigido por quem te guia, Deus.
    Aa parcelas e etapas de sua vida, na matemática de sua vida, não foram utilizadas para subtrair, mas para SOMAR. É evidente que o fator preponderante foi a escolha que você fez, de quem servir e seguir, isto sim está fazendo a diferença. Observo que a escolha feita, te dá a visão de que tudo deve ser “visto” como uma “ACADEMIA ESPIRITUAL”, quanto maior o “peso”, (lutas e conflitos), maior a possibilidade de se fortalecer. Neste diapasão, não importa onde é como nasceste, o importante será o ritmo e harmonia que vais dar as notas musicais da vida, pois NOTAS são somente NOTAS, o que importa é o que faremos com elas. E o musicista que tem regido a ORQUESTRA chamada “CLAUDINHA”, sabe o que faz. ELE, o REGENTE, tem dado as coordenadas é o andamento, felizmente você tem acompanhado a ordens, e seguido o ritmo. A grandeza desta sua matéria, está,também, em demonstrar que em momentos você saiu do ritmo, mas reconhecendo o desafinar e com o ardente desejo de acertar, voltou- se para o MAESTRO, que sempre à disposição e pronto a ajudar, volta à perfeição da MÚSICA, vida.
    Parabéns pela matéria, me abençoou, sei que de igual modo o fará com todos quantos a lerem. Deus continue a te abençoar, NÃO SE IMPORTANDO com os “acontecidos”, mas como já dito, com o que acontecerá. Isto me trás a memoria a PALAVRA: uns PLANTAM, outros REGAM, mas quem dá o CRESCIMENTO é sempre o mesmo, o ESPÍRITO SANTO. Obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *